Separação: o que é a guarda compartilhada?

 

Quando chega o momento da separação, uma das principais dúvidas e incertezas é sobre quem ficará com os filhos. Tem crescido a opção nas famílias pela guarda compartilhada, que dá direitos iguais na educação dos filhos para pais e mães. Como funciona essa guarda compartilhada?

Publicidade - LAMG

Até há pouco tempo, o mais comum era a determinação dos juízes de que os filhos vivessem com a mãe e o pai teria a guarda em dias pré-combinados, como em fins de semana alternados.

Na guarda compartilhada, mãe e pai têm as mesmas obrigações e deveres na educação das crianças, assim como a chance de conviver com os filhos igualmente. Não há um modelo pronto, cada família poderá decidir de que forma é melhor levar o caso.

 

O filho pode ter um quarto nas duas casas, mas os especialistas recomendam que ele tenha uma casa e horários já pré-estabelecidos. Algumas famílias optam por alternar semanas e outras por dias de semana em que um busca na escola e outro pega, por exemplo. Apesar do fim do casamento, o diálogo precisa ser aberto entre pai e mãe.

 

Para quem não se separou em bons termos, a opção de guarda compartilhada pode ser mais difícil. O bem-estar das crianças e a importância da convivência com os dois pais podem ser motivos nobres para levar adiante a decisão, mas a estratégia só funcionará se os pais tiverem um bom relacionamento, porque será preciso ficar em contato costante.

Segundo especialistas, a guarda compartilhada é um desafio dos mais indicados para não privar nenhum dos pais da convivência dos filhos e, principalmente, que ambos possam estar presentes e ajudar nos deveres e participar do desenvolvimento dos filhos.

 

Deixe um comentário